ASTROSOFIA

ASTRO-FILOSOFIA - ASTROLOGIA SIMBÓLICA - ASTROLOGIA PITAGÓRICA - A CIÊNCIA DOS CICLOS OU CICLOSOFIA - ASTROLOGIA ESOTÉRICA, COLETIVA & MUNDIAL
"ASTROLOGIA PROFUNDA PARA UM MUNDO MELHOR" - CIÊNCIA & FILOSOFIA NOVAMENTE UNIFICADAS PELA SÍNTESE!"
Eis que vimos a Sua estrela no Oriente e viemos homenageá-lo." Mt 2,2 (sobre os Reis-magos astrólogos)
"Eu (acredito em Astrologia porque) estudei o assunto, e o senhor não." Isaac Newton (a um crítico da Astrologia)

Disse uma sábia, fazendo eco a Newton, que "a Astrologia não é uma questão de crer, mas de conhecer" (Emma C. de Mascheville). E este se revela o único grande problema, ou seja: o de conhecê-la de fato, coisa dificultada ora pela sutileza de seus postulados, ora pelos desvios que sobre ela se acometem a partir disto. Mas nada disto desmente a sua importância histórica, que tem norteado os rumos das civilizações por milênios, sendo mesmo hoje respeitada sábios e presidentes.
APRESENTAÇÃO .....HOME..... INICIAL ..... EDITORA ....... VIDEOS....... GRUPOS......... GLOSSÁRIO

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

O JANUS CÓSMICO E A RENOVAÇÃO MUNDIAL

.

A Nova Era anuncia u’a mudança planetária maior, o final de todo um ciclo mundial de evolução e a chegada de um novo - cujas crises planetárias preparam de uma forma segura e profunda...
E este é, seguramente, um tema que nos toca de perto, já que as profecias teosóficas e outras apontam para a América do Sul e o Brasil como berços “do novo céu e da nova terra”.


Pois se ex oriens lux (“a luz vem do Oriente”) em função do translado do ponto venal sobre a Terra, então Aquário verterá as suas águas cósmicas especialmente sobre terras brasileiras.
Eis que esta Sexta Raça incide sobre os signos saturninos (Aquário e Capricórnio), o que nos induz a determinadas situações especiais, probatórias, é certo, mas também de síntese e renovação.

Saturno é o senhor-do-carma e, por isto mesmo, rege a iniciação e é o Senhor da Idade de Ouro, que outra coisa não é do que a iniciação coletiva, e na presente acepção ainda mais do que racial, mas verdadeiramente planetária, de modo que envolve a preparação de toda uma nova espécie humana (ou supra-humana?!) sobre a Terra.
A síntese de Aquário nos prepara para o marco do solstício cósmico de Capricórnio, quando tem início uma nova ronda mundial ou manvantara -na realidade, o Pralaya, que é a sua contraparte cósmica. O duplo-Saturno desta transição zodiacal, é o mesmo Janus (donde Janeiro) cuja face jovem é Aquário e a face anciã é Capricórnio.
O tema da alquimia-da-terra está relacionado ao acróstico VITRIOL (que alguns resumem como “vril”), que no vernáculo resulta: “Visita o interior da terra e retificando encontrarás a Pedra oculta.” Talvez as figuras mais famosas acerca deste tema sejam estas abaixo:


“Vitriol”, de Basílio Valentim

"Vitriol” de Stolzius Von Stolzenburg

Estas gravuras representam basicamente a distribuição das regências planetárias do Zodíaco, reunidas a símbolos afins. Nas suas bases, vemos em Valentim o setestrelo cercado por Júpiter e Saturno, pois tais planetas regem os signos do Solstício. Na imagem de Stolzenburg, a mesma posição –numerada como “1”- tem um cubo nomeado “corpus”. Dentro do círculo, temos aos lados um ser renascendo e um corvo. São ambos símbolos da iniciação, comuns nos seus ritos. Este fator iniciático costuma ser representado pela carruagem de Saturno, cujos motores são duas serpentes aladas, alusivas ao controle e à interiorização de Kundalini ou da força vital que a iniciação proporciona.


Assim, temos alguns elementos para responder como deverá acontecer este processo de renovação mundo. Certamente ele será muito complexo, e também traumático, relacionado a um novo grande movimento de seleção-das-espécies, porque se relaciona justamente à renovação da espécie humana, que acontece sob o marco das glaciações cíclicas, que virá desta feita na coroação da crise planetária...
Saturno é disciplina e organização, ele permitirá organizar o espírito de contrição e o estado de consternação sob as crises que virão, transformando a crise em oportunidade de renovação. Enfermidade e cura, ecologia e geografia sagrada, pragmatismo e ordenação, são aspectos duplos desta energia emergente.
O grande sofrimento anunciado, levará o ser humano a desenvolver poderosos sistemas de cura natural e espiritual. A crise ambiental e social, promoverá novos valores e outras formas de organização social. O materialismo se mostrará mais pelo seu aspecto pragmático, levando a reordenar o mundo cada vez mais e em definitivo. A analogia com a enfermidade é exata aqui, pois o próprio planeta está se quedando enfermo, e poderá promover reações poderosas e insuspeitas, sendo esta uma das prováveis causas da volta a respeitar a Natureza e tê-lo como sagrada...
Note-se que nesta transição cósmica que se aproxima, se reúnem os Elementos Ar (Aquário) e Terra (Capricórnio); para aquele se atribui hoje a regência de Urano, e se aproximamos Saturno a Gaia, teremos o resgate do Casal Primordial de muitas mitologias: céu e terra, cuja harmonia restitui também a imago homini.


Criação: Shu (Ar) separa a Terra (Geb) e o céu (Nut)

Contudo, esta harmonia também é obra do homem superior. Mais exatamente, sob a orientação dos “Amigos do homem”, os Mestres de Sabedoria.

Assista ao vídeo 
As Grandes Transformações Planetárias

* 

Luís A. W. Salvi é filósofo e escritor polígrafo com cerca de 150 obras, e na última década vem se dedicando especialmente à organização da "Sociologia do Novo Mundo" voltada para a construção sócio-cultural das Américas.
Editorial Agartha: www.agartha.com.br
Contatos: webersalvi@yahoo.com.br
Fones (51) 9861-5178 e (62) 9776-8957

Participe dos debates em nossos facegrupos:
FILOSOFIA PERENE – O UNO E O TODO
A REPÚBLICA DOS FILÓSOFOS
ZAS - ZONAS AUTÔNOMAS SUSTENTÁVEIS
CIDADE DA LUZ
MAITREYA SANGHA
TEOSOFIA CIENTÍFICA
ALMAS GÊMEAS