ASTROSOFIA

ASTRO-FILOSOFIA - ASTROLOGIA SIMBÓLICA - ASTROLOGIA PITAGÓRICA - A CIÊNCIA DOS CICLOS OU CICLOSOFIA - ASTROLOGIA ESOTÉRICA, COLETIVA & MUNDIAL
"ASTROLOGIA PROFUNDA PARA UM MUNDO MELHOR" - CIÊNCIA & FILOSOFIA NOVAMENTE UNIFICADAS PELA SÍNTESE!"
Eis que vimos a Sua estrela no Oriente e viemos homenageá-lo." Mt 2,2 (sobre os Reis-magos astrólogos)
"Eu (acredito em Astrologia porque) estudei o assunto, e o senhor não." Isaac Newton (a um crítico da Astrologia)

Disse uma sábia, fazendo eco a Newton, que "a Astrologia não é uma questão de crer, mas de conhecer" (Emma C. de Mascheville). E este se revela o único grande problema, ou seja: o de conhecê-la de fato, coisa dificultada ora pela sutileza de seus postulados, ora pelos desvios que sobre ela se acometem a partir disto. Mas nada disto desmente a sua importância histórica, que tem norteado os rumos das civilizações por milênios, sendo mesmo hoje respeitada sábios e presidentes.
APRESENTAÇÃO .....HOME..... INICIAL ..... EDITORA ....... VIDEOS....... GRUPOS......... GLOSSÁRIO

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Apocalipse Joanino & Manvantara


O Apocalipse trata da Era futura e da volta do Cristo, entre muitas outras coisas, e incluiria a alusão a um final de ciclo maior, porque as suas narrativas falam de milênios, atravessando toda a Era de Aquário até o final desta ronda ou manvantara (ver), entendido como ciclo de 12 mil anos “divinos”.

Ora, o Apocalipse é, com efeito, uma escritura e uma revelação maior, razão pela qual abrange a globalidade do ciclo cósmico, onde os quatro querubins da sua hierofania (depreendidos de Ezequiel) podem ser vistos como as quatro raças humanas, e os 24 anciões equiparados aos 22 avatares de Vishnu.


Na expressão “um tempo, tempos, e metade de um tempo” (Ap 12:14), que João copia de Daniel, alguns vêem os mesmos 1.260 dias (Ap 11:3 e 12:3), que Joaquim di Fiori transpõe com sucesso para anos compondo as Idades divinas.

Falta agora 700 anos para completar a Idade fiorana do Espírito Santo. Somando mais 1.260 anos, para uma futura idade quaternária ainda não anunciada -porém natural e integrando o mistério da Tétrade divina, seguramente em vista numa raça-raiz quaternária como a que começa em 2012, quando amadurecerá este conceito quaternário sempre embutido na visão divina da Quarta ronda-, encerraremos a Era de Aquário e toda a presente ronda. Sem dúvida, o ciclo quaternário de 5040 anos, é bem mais interessante que o trino de 3780 anos, pois na verdade acaba se igualando ao das Eras solares ou raças-raízes, e equipara ou aproxima as Idades divinas fioranas às Idades Metálicas tradicionais. Bastaria ver, que na escola dos Brahma Kumaris, as quatro Idades Metálicas possuem efetivamente 1250 anos cada.

O único senão a isto tudo, seriam as datas que regulam estes ciclos, uma vez que uma nova Era solar começa agora em 2012. Para algumas escolas (como em Alice A. Bailey), a presente raça não terminará, sendo interrompida pela chegada da nova ronda. Seriam, pois, formas distintas de registrar as divisões do tempo cósmico. Vale notar então, que os relatos teosóficos dos grandes eventos raciais e planetários, comumente apontam acontecimentos capitais em meados das raças, especialmente de teor espiritual (como Sanat Kumara e Shambala, o Templo de Ibez, etc.). Contudo, isto se deveria em parte à existência de “ciclos dentro de ciclos”, de modo que em algum momento termina por haver tais cortes. (“Glossário Holístico”).

Nenhum comentário:

Postar um comentário